um ponto à superfície
.posts recentes

. (Que silêncio; está-se tã...

. Fuma

. O demo, ainda à solta e a...

. O demo anda outra vez à s...

. Os cravos

. Dizem-me todos o mesmo

. Os que ficam com o que ab...

. Agora, não

. Numa mão a espada, na out...

. The Thought Project

.arquivos

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

. Novembro 2003

Sábado, 6 de Dezembro de 2003
Há alguém a subir as escadas
Estou sentada, de costas para as escadas. Há pouco ouvi um barulho lá em baixo - a minha gata esqueceu por momentos a sua tarefa interminável de amassar no meu colo uma massa de pão que existe algures na sua cabeça, uma receita cujos ingredientes prefiro nem imaginar - devagar, como seria de esperar do prazer caseiro de um gato - e espetou as orelhas na direcção dos degraus. Foi um barulho, e nada mais, penso eu, mas espreito, pelo sim, pelo não. Não é ninguém.
Já passou - há algum tempo - e então porque continuo eu a sentir a sombra que sobe as escadas? Está perpetuamente a subir as escadas; sempre que penso nela (basta um segundo de silêncio, qualquer coisa que quebre o ritmo da tarde, para que eu pense nela) sobe as escadas, como se as escadas crescessem do centro para as extremidades, criando sempre novos degraus - como se os degraus nascessem de cada novo passo seu. Sempre nos mesmos degraus, e sempre a aproximar-se de mim, passo a passo, sem um ruído, apenas uma presença que aperta o ar de encontro às minhas costas. A escada está escura, mas, se eu virar a cabeça, consigo ver a sombra que se afunda em direcção aos primeiros degraus. Daquela sombra pode nascer qualquer coisa, daquela sombra e de um pequeno ruído que até a minha gata estranhou. Eu fico, sentada, toda a tarde, a ler, a escrever, a desenhar remoinhos no pelo de Inverno do bicho, de costas para as escadas.
publicado por galinhola às 18:53
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De http://guardaxerodio.blogspot.com a 2 de Outubro de 2006 às 04:54
spooki

Comentar post

.pesquisar
 
.Janeiro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

. Ser catita

blogs SAPO
.subscrever feeds