um ponto à superfície
.posts recentes

. (Que silêncio; está-se tã...

. Fuma

. O demo, ainda à solta e a...

. O demo anda outra vez à s...

. Os cravos

. Dizem-me todos o mesmo

. Os que ficam com o que ab...

. Agora, não

. Numa mão a espada, na out...

. The Thought Project

.arquivos

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

. Novembro 2003

Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2004
Modo citação: Ortega y Gasset
O homem de cabeça clara é aquele que se liberta dessas "ideias" fantasmagóricas e olha a vida de frente, e apercebe-se de que tudo nela é problemático, e sente-se perdido. Como isto é a pura verdade - a saber, que viver é sentir-se perdido - aquele que aceita isto já começou a encontrar-se, já começou a descobrir a sua autêntica realidade, já está seguro. Instintivamente, tal como o náufrago, buscará qualquer coisa a que agarrar-se, e esse olhar trágico, peremptório, absolutamente veraz porque se trata de salvar-se, fá-lo-á ordenar o caos da sua vida. Estas são as únicas ideias verdadeiras: as ideias dos náufragos. O resto é retórica, postura, íntima farsa. Aquele que não se sente de verdade perdido, perde-se inexoravelmente; quer dizer, nunca se encontra, nunca esbarra com a própria realidade.

A Rebelião das Massas
publicado por galinhola às 16:42
link do post | comentar | favorito
|
.pesquisar
 
.Janeiro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

. Ser catita

blogs SAPO
.subscrever feeds