um ponto à superfície
.posts recentes

. (Que silêncio; está-se tã...

. Fuma

. O demo, ainda à solta e a...

. O demo anda outra vez à s...

. Os cravos

. Dizem-me todos o mesmo

. Os que ficam com o que ab...

. Agora, não

. Numa mão a espada, na out...

. The Thought Project

.arquivos

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

. Novembro 2003

Sábado, 10 de Janeiro de 2004
Modo citação: Adão, de Marin Sorescu
Embora se encontrasse no Paraíso,
Adão passeava pelos caminhos, preocupado e triste,
Porque não sabia o que lhe faltava.

Então Deus criou a Eva
De uma costela de Adão.
O primeiro homem gostou tanto deste milagre
Que imediatamente
Apalpou a costela mais próxima
E sentiu os dedos estremecerem
Nuns seios duros e em ancas suaves
Como o contorno de notas musicais.
Uma nova Eva tinha surgido diante dele.
Acabava de tirar o espelhinho
E pintava os lábios.
"Assim é a vida" - suspirou Adão
E criou mais uma.

E sempre desse modo, sempre que a Eva oficial
Voltava as costas
Ou ia ao mercado comprar ouro, incenso ou mirra,
Adão trazia à luz outra odalisca
Do seu harem intercostal.

Deus observou
Esta licenciosa criação de Adão,
Chamou-o, soltando fúrias divinas,
E expulsou-o do paraíso
Acusado de surrealismo


(tradução colectiva, revista completada e apresentada por Egito Gonçalves)
publicado por galinhola às 20:26
link do post | comentar | favorito
|
.pesquisar
 
.Janeiro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

. Ser catita

blogs SAPO
.subscrever feeds