um ponto à superfície
.posts recentes

. (Que silêncio; está-se tã...

. Fuma

. O demo, ainda à solta e a...

. O demo anda outra vez à s...

. Os cravos

. Dizem-me todos o mesmo

. Os que ficam com o que ab...

. Agora, não

. Numa mão a espada, na out...

. The Thought Project

.arquivos

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

. Novembro 2003

Terça-feira, 3 de Fevereiro de 2004
Contemplar o céu nublado e o volumoso tronco de uma árvore sob uma luz mágica é difícil quando estamos sós
Este mês a Cinemateca programou o final do ciclo 'Nos caminhos de Abbas Kiarostami'. Sempre achei curioso e simpático que este realizador gostasse tanto de levar-nos a passear, e hoje, no meio das pequenas alegrias de desdobrar, ler, revirar e marcar o programa da Cinemateca para Fevereiro, encontrei isto:



Para mim, observar a natureza tinha um efeito calmante. Tinha sobre mim um efeito quase mágico. Eram viagens curtas, sem um fim preciso. De repente, dava por mim no campo. Muitas vezes só e por vezes acompanhado. Os amigos nem sempre estão dispostos a partir para este género de aventura. Contemplar o céu nublado e o volumoso tronco de uma árvore sob uma luz mágica é difícil quando estamos sós. Não poder compartilhar com outra pessoa o prazer de ver uma paisagem magnífica é um suplício. Uma máquina fotográfica permite-me partilhar essas sensações com os outros. Gosto imenso de capturar uma imagem bela e aprisioná-la dentro de uma caixa para a mostrar a quem quiser. Gosto imenso de proporcionar sensações belas.



(Abbas Kiarostami em Abbas Kiarostami. Photographies. Trente questions à Abbas Kiarostami par Michel Ciment, Editions Hazan, Paris, 1999. - vem mesmo tudo em itálico, não se percebe onde começa e acaba o título)



Parece que já não vou a tempo de rever Através das Oliveiras, o meu filme preferido de Kiarostami e um dos meus filmes favoritos, em absoluto (absoluto variável de acordo com o estado do tempo, obviamente, mas hoje, com este sol de quase quase Primavera, não desdenhava um passeio através da oliveiras).

Ainda por cima, parece que o senhor tira estas fotografias. Ora toma. Já tenho com que me entreter...
publicado por galinhola às 11:57
link do post | comentar | favorito
|
.pesquisar
 
.Janeiro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

. Ser catita

blogs SAPO
.subscrever feeds